top of page

O Tempo



  • Texto publicado em meu antigo Blog em 30/08/2019

“Nossa o tempo está voando, já é quase setembro e parece que o ano começou ontem” – Essa frase é familiar?

O tempo remete o: PASSADO- lembranças de momentos felizes, sorrisos, das pessoas queridas que se foram, de momentos difíceis ou até traumáticos, de como certa época da vida parecia tudo tão mais fácil, tão mais simples e pode até gerar arrependimento por ter ou não feito algo que desejava... FUTURO- um pacote cheio de sonhos, medos, anseios, planos, desejo de mudança, expectativas, esperança... PRESENTE- é aqui que a coisa trava... quantas vezes o presente acaba virando uma verdadeira prisão porque ele está:

 Cheio de lembranças do passado que não deixa seguir em frente - ou por vontade de querer voltar a viver algo que passou ou por raiva do que viveu e desejar mudar aquilo que também já passou!  Cheio de expectativas para o futuro, desejando algo que ainda não chegou, almejando que quando conquistar tudo o que planeja hoje, a tão sonhada felicidade chegará e enfim será possível viver bem!


Mas o tempo não para!

Ele não dá trégua e às vezes traz consigo a tão terrível sensação de não ter saído do lugar. Por que parece que na infância cada minuto era vivido com tanta intensidade que consequentemente parecia que o tempo passava mais devagar? Será que o tempo está passando mais rápido mesmo ou o jeito como lidamos com ele é que traz essa sensação? Para uma criança pequena, tudo é descoberta, tudo é novidade, tudo é motivo para explorar, sentir e conhecer. Na vida adulta não se tem tantas novidades assim, a rotina acaba mascarando as coisas belas da vida. Já não se “perde” tanto tempo com coisas simples. O importante é produzir, conquistar e crescer profissionalmente. Não dá tempo de sorrir, não dá tempo de ficar conversando muito tempo com as pessoas, não dá tempo de descansar, nada tem a mesma graça... o celular que foi tão desejado, perdeu a graça em poucos meses, o computador tão necessário e almejado, começou a travar depois de um tempo e já é motivo de irritação, o carro tão sonhado, poderia ser maior e com mais tecnologia, aquela pessoa especial que era tão desejada, acabou perdendo o brilho... A experiência de curtir uma conquista é deixada de lado, não dá tempo! Tudo o que é conquistado não gera comemoração, gera novas cobranças, afinal o entendimento de sucesso que impera na sociedade hoje é: se conquistou isso hoje, amanhã precisa ser algo maior e melhor! Daí vem a sensação do tempo estar passando tão rápido! A vida se torna tão corrida, tão exaustante, cheia de tantas cobranças que parece que o dia ficou muito pequeno com apenas 24 horas. E sem perceber, esse estilo de vida rouba o presente! Tira a oportunidade de apreciar os ganhos e refletir as perdas! Uma criança pode descobrir muitas possibilidades do que se fazer com uma simples caixa! Ela só precisa de um tempo para imaginar, criar, tentar, refazer, recomeçar e construir e quando conseguir fazer algo legal virará para o adulto mais próximo e repetirá várias vezes: “olha o que eu sei fazer”, sem cansar de mostrar a sua mais nova conquista!

Celebre suas conquistas! Dedique tempo a sua família! Reconquiste a sua criatividade! Quando decidir almejar algo novo, verifique antes se já não possui algo semelhante! Evoluir profissionalmente e conquistar uma vida mais confortável são coisas boas, mas o processo para alcança-las não pode ofuscar o presente! Deixo aqui um trecho do livro “Em busca de nós mesmos” de Clóvis de Barros Filho e Pedro Calabrez:

“Lamente um pouco menos – isso é passado – espere um pouco menos – isso é futuro – e ame um pouco mais – isso é o instante presente, o que estamos vivendo agora. Se o passado não pedir passagem, se o futuro não se impuser, o presente estará bastando.”


Psicóloga Aline Sartori

Facebook/Instagram: @psi.alinesartori

Comments


bottom of page